13.11.05

Domingo é dia de futebol...

Algumas coisas me fazem perder o sono, entre elas está o futebol. Algo realmente impressionante é o fato de que um jogo de futebol possa interferir tanto no meu humor, isto não faz sentido, afinal eu não posso influir no resultado, só fico no estádio ou na frente da televisão sofrendo. Pergunto sempre o que me leva a ser assim tão incompreensivelmente insano. Tudo bem que passei boa parte de minha infância nas dependências do Clube Náutico Capibaribe, cresci naquelas quadras, vivi momentos de extrema felicidade naquele lugar. Depois tem os amigos, quase todos são torcedores do Náutico, uma feliz coincidência. Mas o que significa torcer por um clube de futebol?

Esta é uma pergunta para a qual eu não encontro resposta. Só digo que não vou mais acompanhar os jogos do Náutico. O bom é que em Brasília eu terei a distância necessária para esquecer do Clube Náutico Capibaribe, este meu grande amor.
Minha vida sempre foi muito ligada à prática de uma atividade esportiva. Cresci em quadras de tênis, futebol de salão, vôlei, ainda muito menino entrei para a escolinha de remo, e só deixei de competir por esta modalidade esportiva aos 32 anos. Joguei vôlei de praia até os 37 anos, e até os dias atuais mantenho a prática do tênis, ao menos, duas vezes por semana.

Sempre fui muito competitivo, tanto que nem sei se desenvolvi a competitividade pela prática esportiva ou se pratiquei tantos esportes por força de minha personalidade competitiva. Sei que me saí bem em todos os esportes que pratiquei, ganhei medalhas, fiz parte de seleções, viajei para competir, tive muitas alegrias e poucas tristezas na minha vida de atleta.

Talvez isto explique minha paixão exacerbada por futebol, pelo meu time. Penso que realizo minha necessidade de competir através do meu clube do coração. Se bem que passei alguns anos só vivendo derrotas com o Náutico, mas nunca deixei de amar o alvi-rubro de Rosa e Silva, acompanhei solidariamente seu ocaso, e ajudei, como pude, na sua ascensão. Passei 11 anos sem ter o prazer de comemorar um título, mas pude sentir o coração explodir de alegria no ano do centenário quando fomos campeões pernambucanos.

Hoje me vejo um tanto relaxado quanto a prática de uma atividade esportiva, não tenho a freqüência, nem a regularidade que gostaria, mas tenho mantido ao menos o contato com o tênis. Passados dez anos de minha última competição como atleta sinto uma grande necessidade de voltar aos treinos diários.

Como não posso permanecer jovem por toda a vida, ao menos permanecerei com este espírito. Então está decidido, voltarei a ter uma atividade esportiva diária. Estou apenas avaliando em qual modalidade me encaixo melhor. Mas 2006 será o ano do retorno.

O rei está morto. Longa vida ao Rei!
Partida De Futebol
Skank
Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer um gol
Quem não sonhou ser um jogador de futebol?
A bandeira no estádio é um estandarte
A flâmula pendurada na parede do quarto
O distintivo na camisa do uniforme
Que coisa linda, é uma partida de futebol
Posso morrer pelo meu time
Se ele perder, que dor, imenso crime
Posso chorar se ele não ganhar
Mas se ele ganha, não adianta
Não há garganta que não pare de berrar
A chuteira veste o pé descalço
O tapete da realeza é verde
Olhando para bola eu vejo o sol
Está rolando agora, é uma partida de futebol
O meio campo é lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante
Que emocionante, é uma partida de futebol
O goleiro é um homem de elástico
Só os dois zagueiros tem a chave do cadeado
Os laterais fecham a defesa
Mas que beleza é uma partida de futebol
Bola na trave não altera o placar
Bola na área sem ninguém pra cabecear
Bola na rede pra fazer um gol
Quem não sonhou ser um jogador de futebol?
O meio campo é lugar dos craques
Que vão levando o time todo pro ataque
O centroavante, o mais importante
Que emocionante, é uma partida de futebol !

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home