9.5.06

Sobre as mulheres...


Tenho amigos que se reúnem com certa freqüência, somos uma confraria, um momento para nos sentirmos adolescentes unidos por um elo indestrutível, nossa necessidade de ter uma vida plena e prazerosa. Entre muitos assuntos há um recorrente, falamos sobre trabalho, política, carreira, futebol, mas nunca deixamos de falar sobre mulheres, como são complicadas, sensuais, insinuantes, tímidas, inseguras, determinadas, enfim maravilhosas.

O curioso é que me peguei numa discussão sobre mulheres irresistíveis, e percebi que sou atraído não pela forma de uma mulher, seus traços ou contornos, o que me atrai é o estilo, são pequenos detalhes, o andar, o sorriso, o olhar, as mãos, os gestos, o vestir, a classe, a descontração, gosto de observar uma mulher aos poucos, primeiro os seus olhos, o olhar diz tudo, depois gosto de perceber os gestos, quando fala, quando sorri, quando se movimenta, o estilo é algo que me fascina, ter estilo é andar descalça com toda a elegância de quem desfila em trajes de gala. Costumo dizer que não é a roupa que faz uma mulher deslumbrante, e sim a forma como ela se encaixa nessa roupa, há mulheres que vestindo um jeans com uma camiseta básica e uma sandália de salto dão a impressão de estarem sofisticadamente vestidas.

Alguns amigos meus brincam comigo dizendo que tenho uma alma feminina muito aflorada, pois observo as mãos, os pés, gosto de admirar um belo salto destacando o tornozelo e a panturrilha, gosto de me perder olhando os brincos que se escondem delicadamente entre os cabelos, me desespero ao olhar uma nuca exposta por um penteado ou um corte de cabelo curto, sonho com os contornos de um corpo maduro, com a maciez de uma pele hidratada, com o perfume de um pescoço adornado por uma bijuteria ou jóia. Sinto-me mais atraído pela sedução do que pela conquista, não que me furte ao prazer do momento a dois, jamais, afinal esse é o clímax de um encontro entre duas pessoas que se atraem, mas é no jogo da sedução que se prepara o espírito para esse momento, são esses pequenos detalhes que antecedem ao encontro que despertam o vulcão que existe em nós. Por falar em vulcão me veio a lembrança de uma mulher irresistivelmente sedutora.

Estamos todos tomando o nosso tradicional café numa casa muito agradável do shopping Tacaruna, após o almoço, quando uma mulher me chamou a atenção, ela caminhava com a graça de um cisne que desliza sobre as águas com leveza e elegância, sua atitude era de perfeita segurança, seus gestos leves e graciosos, e os cabelos de um brilho intenso meneavam ao sabor de seus passos. Chamei a atenção sobre esses detalhes para os meus pares, quando fui surpreendido com a seguinte afirmação – Nossa você conseguiu ver tudo isso? Eu só percebi a bunda dela. – Foi uma gargalhada geral, mas todos logo concordaram com minhas observações.

Isso tem me feito pensar que talvez eu devesse mudar um pouco, ser mais prático, deixar de lado tantas expectativas, agir com mais objetividade, isso pode ser decisivo nos próximos encontros, assim eu teria mais opções. Talvez eu assuma a atitude dos tempos da adolescência - “caiu na rede é peixe”.

1 Comments:

Blogger Infinit said...

.
.
.
.
Cuidado com as sereias.
.
.
.
.
.

9:48 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home