20.8.05

Vôo solo

(Motoplanador Ximango - Foto da Internet)


Hoje à noite eu não vou sair de casa, quero estar a sós com minha solidão, quero ouvir o silêncio do meu quarto, quero me perder olhando o horizonte pela janela, quero voar para muito longe. Longe... Segundo Richard Bach é um lugar que não existe.

Fecho os olhos e me sinto na cabine de comando de um monomotor, um vôo noturno, sinto o balanço da aeronave sacudida por um vento de través, corrijo no pedal, inverto e compenso.

Meu Deus como eu necessito voltar a voar, como eu estaria feliz em amanhã poder tomar o comando de um motoplanador Ximango, levantar vôo do aeroclube do Recife e planar no céu de todo o litoral pernambucano. Meus olhos se enchem de lágrimas em pensar que estou preso ao chão, impossibilitado de voar...

Nos céus tudo é silêncio e beleza, contemplação e liberdade. Creio que um homem não poderia passar pela vida sem experimentar essa sensação indescritível de se sentir parte de algo maior que a nossa mísera condição humana, ao voar você transcende a materialidade, experimenta e testemunha a grandeza do Criador e a pequenez da criatura.

Voar é estar em sintonia com Deus, é perceber-se frágil, mas ao mesmo tempo seguro. É como estar nas mãos do Senhor e por Ele ser conduzido, protegido, acalentado. Não consigo encontrar palavras para descrever ou explicar, apenas sei o que sinto, e afirmo que é maior do que minha capacidade intelectual de definir.

Olhar a terra de cima ajuda a perceber como tudo é frágil e temporal. Tudo passa, nada será para sempre, amores, vida, alegrias, tristezas, riqueza, pobreza, beleza tudo um dia acaba. Pode acabar hoje. Então amar o dia de hoje, sorvê-lo lentamente, senti-lo em cada instante é a única coisa que podemos fazer para eternizar o momento.

Hoje eu passei a manhã, ou o que restou dela, lendo os textos de Rubem Alves. Muito interessante, senti-me compartilhando um livro com alguém especial, tentei compreendê-la ao ler um de seus autores favoritos, busquei alguma pista que me leve a conhecer o seu coração, eu sei tão pouco dela.

Gostaria de saber o que se passa em sua mente, confesso que estou perplexo com o fato de estar tão próximo ao seu coração e não conhecê-la. Estou muito envolvido em saber o que se passa em sua mente, às vezes até ansioso. De que vale minha ansiedade? A vida é o que tem de ser e em nada minha ansiedade mudará o rumo das coisas.

Hoje à tarde fui ao cinema, um encontro com minha admiradora secreta, tudo muito tranqüilo, espero que ela tenha gostado de me conhecer pessoalmente. Enquanto a esperava parado em frente à escada rolante do Shopping fui abordado por uma outra jovem que me perguntou se eu esperava alguém, respondi que sim e percebemos que era mais um encontro às escuras. Minha amiga logo chegou, assistimos ao filme, lanchamos e passeamos entre as lojas. Encontrei umas dez pessoas conhecidas, todas ligadas ao meu último relacionamento, o que me fez pensar que sábado no Shopping é programa de muita gente.Então se você quiser se esconder nunca faça isso num Shopping à tarde, ainda bem que esse não era o meu caso.
Encontrei também minha ex-cunhada, há muito não nos víamos, senti de imediato saudade de Cris, já se passaram oito meses, lembrei de quantas vezes fomos ao cinema naquele lugar, e como Cris detestava aquele Shopping. Espero que ela esteja bem em sua nova carreira e na sua nova cidade. Fiquei lembrando o quanto ela odeia lugares frios e que Brasília nesta época está debaixo de chuva e muito frio.

Brasília minha vida está conectada a esta cidade, lá eu fiz meu curso de piloto privado, fui militar, ganhei a primeira de muitas competições de Remo. Ganhei meu primeiro concurso de versos, Medalha comemorativa do edifício sede dos Correios e Telégrafos, o diploma se perdeu, mas a medalha está diante de mim em minha mesa. E foi em BSB que encontrei minha primeira namorada, meu primeiro amor. E como se isto tudo não bastasse Cris está morando lá.

Dizem que o primeiro amor agente nunca esquece. Eu posso afirmar que é verdade. Meu primeiro amor... Tenho escrito sobre ela, mas não posso publicar. Lá fora está chovendo, a lua se escondeu, aqui dentro estou só. E longe, muito longe está ela. O que estará fazendo? Com quem?

Ainda bem que tenho este lugar. Elisabete meu amor mais uma vez obrigado. Por falar em minha ursinha querida eu ando afastado da turma do boteco, sei que estou em dívida com minha querida Elisa. Mas sei que ela me ama o suficiente para compreender meu momento. Quanto ao bar eu ainda vou ficar um tempo longe. É dolorido ouvir tanta coisa sobre o PT. Pouca gente conhece o partido, fala sem saber do que está falando, nós do PT estamos sofrendo a dor mais cruel que um ser humano pode suportar que é a traição. Fomos traídos pelos nossos amados companheiros. Mas este é um assunto que eu abordarei em outro momento, quando tudo estiver mais tranqüilo. Esperarei que todos os envolvidos sejam declarados, todas as provas apresentadas e os culpados punidos. Então me posicionarei sobre tudo, mas que fique claro, desta bandeira eu não arredo. Sou PT.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home