3.8.06

A vida segue seu rumo na estrada do destino...

Há algum tempo eu não frequentava a noite do Recife, andei um tempo exercendo o meu direito de estar só, mas no último fim de semana fui a uma casa noturna, Mad Pub, prestigiar a apresentação de uma banda local. Pouca luz, muita gente bonita e um som de fazer qualquer quarentão se sentir um adolescente e dançar até a exaustão, ainda que a exaustão tenha chegado muito rápido, foi muito divertido, dancei bastante, conheci pessoas interessantes, reencontrei amigas da faculdade, e por fim terminei a noite sozinho sentado na areia da praia no Pontal de Maria Farinha vendo o dia amanhecer feliz.
Atualmente tenho agora uma grande distração nos fins de semana, surfar, se bem que ainda não posso dizer que surfei uma onda, ao menos não como se espera que seja feito, digamos que estou descendo a onda sobre a prancha enquanto não caio, e acreditem eu caio o tempo todo, chega a ser cômico, uma cena hilária, levo dez minutos remando contra as ondas para me posicionar no lugar de onde devo partir sobre elas, mas cinco segundos em frenético e desesperado esforço remando para ganhar velocidade e subir nela, uma fração de segundo sobre ela e uma eternidade de tempo rolando em baixo dela, bebendo água, batendo com a cabeça no fundo do mar, sendo moído pelo turbilhão de águas que se quebram sobre meu desordenado corpo que é jogado de uma lado para o outro submerso. Tenho a nítida impressão que Netuno se diverte com minha persistência e tenacidade, deixando que eu acredite que um dia vou ficar em pé na prancha e descer uma onda até as espumas, mas eu não desisto, não ainda...
O melhor disso tudo é que se não aprender a surfar vou ficar com um ótimo preparo físico, afinal o esforço exigido para se vencer a arrebentação é muito grande, em breve estarei forte, ou morto...
Ontem tive um grande susto, após sair do banho entrei no quarto e fiquei despido diante do espelho, me dei conta que há muitos anos não me olhava por completo nu. Essa semana terminei meu closet, e coloquei dois espelhos enormes que me permite ver-me de frente e por trás. Estou gordo! Não um pouco acima do peso, percebi que tenho uma barriga enorme, que preciso usar sutiã, que minhas costas agora apresentam dobras, é isso mesmo, tem uma parte de tecido que insiste em sobrar, minhas pernas estão finas, minha bunda sumiu, meus braços estão flácidos, meu Deus!!!!! Que homem feio! Eu não sairia comigo se fosse uma mulher, e logo eu que sempre fui um atleta, lembro-me de que há dez anos quando jogava vôlei de praia eu era tido como objeto de desejo de muitas moças que ficavam na areia se bronzeando e observando o jogo, quantas cantadas eu recebia...
Dizem que não se pode ter tudo, ou se é bonito ou inteligente, não concordo com isso, mas que eu desprezei meu corpo enquanto estudava, trabalhava e adquiria bens isso é fato, mas agora penso que isso poderia ter sido feito em harmonia com uma vida saudável e ativa.
Onde está a chave da caixa de Pandora???
Fazer o quê??
O pior é que tenho mais prazer em trabalhar ou estudar do que em malhar, detesto academia, me matriculei em uma e só fui no primeiro mês, não consigo sentir prazer naquilo...

2 Comments:

Anonymous laura cristina said...

É amigo! O tempo passa, o tempo vôa.... mas é isto mesmo, o que vale é o coração batendo e a mente livre.

2:35 PM  
Blogger Frederico Pereira said...

Obrigado Laura.

7:17 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home