23.8.05

Desejos



Soneto da Despedida

Se eu falar do meu amor
Não vou dizer que pereceu
Que esse amor não mereceu
O meu sonhar, a minha dor.

Não chorarei por esse amor
Que de partida está agora
Que me deixou e foi embora
Ficando então o dissabor

Das lembranças do passado
De um beijo tão amargo
Que te dei na despedida

Da imagem de teu rosto
Teu sorriso de desgosto
Nos teus lábios carmesins.



Recife - 20 de Setembro de 2000


1 Comments:

Blogger Infinit said...

Mais uma vez, cito Richard Bach.

"Não fique triste nas despedidas.
Uma despedida é necessária antes de nos encontrarmos novamente.
E se encontrar de novo, depois de momentos ou de vidas, é certo para os que são amigos."

12:16 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home