19.12.05

O espírito do Natal!

Estou à procura do espírito do Natal, olho a cidade toda iluminada e não o encontro, onde se escondeu o sentimento que outrora aquecia o coração do menino, que fazia arder em seu coração um sentimento de amor, tolerância, amizade, ternura e compaixão. Hoje o homem nada sente, não se emociona mais.
Meu caminhar denuncia pela pressa que meus olhos estão cegos diante dos apelos desses dias de festas. Confraternizações, almoços, encontros, tudo em função do tal espírito do Natal, parece que todos se transformam em pessoas melhores, que deixam aflorar seus melhores sentimentos, será?
Em mim nada aconteceu, continuo o mesmo homem insensível ao mundo de dor e sofrimento que me cerca, um verdadeiro caos de modernidade e solidão, onde tudo acontece na velocidade das infovias, das fibras óticas, dos satélites. Mas onde está o homem natural? Aquele feito de matéria e espírito, que consegue ver ao Criador na obra da Sua criação.
Busco pelas ruas à noite esse espírito Natalino, nas vitrines preparadas para seduzir, nas praças iluminadas com motivos de época que criam um clima de congraçamento e mantêm afastados os ricos dos pobres com as bancas de bolos e salgados, todos tão caros.
O momento é de presentes, então é o momento do capital, e como ficam todos os que são atingidos pela mídia de massa por este incontrolável desejo de consumo, e que não detém o poder do capital? O que fazer dos pobres que sonham o mesmo sonho dos ricos? Uma ceia de Natal, uma árvore com presentes, a família reunida e uma celebração. Como celebrar de barriga vazia, de vestes rasgadas, sem um teto sobre suas cabeças?
Onde está o espírito do Natal? Parece que perdemos nossa capacidade de indignação, vemos a dor e sofrimento ao nosso redor, nos sinais de trânsito, nos bancos das praças, sob as marquises dos prédios nas noites do centro da cidade, nas calçadas das ruas, no olhar de desamparo dos que mendigam diante de nós. Mas o que temos feito? Fazemos nosso papel, acordamos todos os dias e lutamos para não fazer parte desta parcela de desassistidos que nos rodeiam intocados por nossa generosidade.
Mas é Natal, e em algum lugar há de se encontrar o espírito desta data festiva, em algum momento há que se lembrar do verdadeiro sentido deste dia. Mas qual é o sentido do Natal?

1 Comments:

Anonymous U. A. said...

É verdade que a miséria entre os homens tem crescido. Mas tenho visto mais ações de solidariedade que antes. Mesmo que se manifestem mais na época do Natal, quando age o tal espírito! Ainda assim, muitos brasileiros, cada vez mais empobrecidos, ajudam seus semelhantes naquilo que lhes está ao alcance.

2:46 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home