12.12.05

Uma carta para você.

Os dias correm diante de mim, e eu a tudo observo, sou um expectador da minha própria história, e me pergunto até quando deixarei a vida escapar-me entre os dedos...

Tenho algumas decisões a tomar, caminhos a serem percorridos, mudanças a serem feitas, ajustes na maneira de lidar com as alegrias e frustrações. Hoje dei um passo significativo para a minha independência financeira, estou a um passo do paraíso, falta tão pouco que consigo enxergar o fim da estrada, e lá está a linha de chegada onde me aguarda o devido troféu de campeão, resta apenas seguir em frente e esperar que não surja um fato novo para mudar a ordem das coisas.

Meu coração está reclamando das minhas atitudes, sinto-me só, afinal já vai fazer um ano desde que você foi embora, para nunca mais voltar. Ainda sinto o seu cheiro, o seu gosto, lembro do seu sorriso lindo, de sua alegria e descontração, de seu corpo sinuoso, de tantas curvas e formas perfeitas, seu colo perfeito, seios de uma beleza inimaginável, cabelos volumosos e sedosos, sua pele branca que não suportava o sol, seu andar descalço com a leveza e elegância de uma dama. Sua voz... Como era gostoso o som de sua voz, suave como o som das ondas do mar, melodiosa como o canto de um canário, e seu olhar tão terno, sempre querendo carinho.

Nunca me dei tanto a uma mulher, creio que sobrou muito pouco de mim. Com você se foi minha alegria contagiante, meu sorriso permanente, minha simpatia. Tornei-me amargo, impaciente, confuso e triste, perdi o gosto pela noite, hoje durmo cedo. Deixei de ir a praia, pois o mar me faz lembrar de você.

Hoje eu queria ouvir o som de sua voz, queria poder contar-lhe minhas pequenas vitórias. Onde está minha amiga e confidente? Minha mulher, amada, amante e companheira. Por onde anda aquela que me fazia viajar as estrelas, quando me amava com tamanho desprendimento que nossos corpos pareciam bailar, num bailado exaustivamente ensaiado. Onde está a nossa cumplicidade tão falada por todos, entendíamos um ao outro num olhar. E como eram tórridos os nossos momentos de amor, havia sintonia, ritmo, harmonia, que perfeição.

Eu queria te dizer que consegui, que tenho em minhas mãos tudo o que desejamos por tanto tempo, queria que você soubesse que cumpri minha promessa. Eu sempre cumpro o que prometo, nisto vejo minha maior ansiedade, lutar para ser fiel aos meus juramentos.

Onde está você que não vê que chegou o tempo da ceifa. Tenho me perguntado se devo te procurar, ou se sigo em frente sem olhar para traz. Mas é tão difícil decidir. Fico me perguntado se você seria atingida por minhas conquistas, eu sonhava que fossem nossas. Eu queria tanto caminhar ao teu lado. Lembra dos filhos que sonhamos ter? Uma menina de longos cabelos negros, de olhar tranqüilo, de andar faceiro, de sorriso fácil que lembraria você. E o Juninho? Seria uma cópia de mim mesmo, brincalhão e sorridente, com aquele olhar inocente e despreocupado.

Nada agora faz sentido, estou perdido, sem direção, agora que cheguei aqui não sei qual o próximo passo, pois tudo deveria estar acontecendo com você aqui, então começaríamos uma nova etapa, eu estou pronto, mas onde está você...

2 Comments:

Blogger nine said...

Pois vou te falar que essa carta seria a carta que muitas gostariam de ler...
Se ela não se importa, que venha uma que te mereça e que realmente se importe e aplauda todas as tuas pequenas vitórias, e saiba APROVEITÁ-LAS ao teu lado!

Eu tou muito orgulhosa de ti!

:)

6:00 PM  
Anonymous Maria do Céu Costa said...

Que encanto esta carta. Quem não gostaria de receber uma assim?! Boa semana. Beijinhos.

10:18 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home